Os EUA agora são um estado falido e o que fazer com isso. (Parte 1) Benjamin Fulford em Português

27-07-2020

Por Benjamin Fulford

Nota aos leitores, este é o último dos relatórios de verão pré-escritos. Relatórios regulares serão retomados em 3 de agosto.

A falência não declarada da United States of America Corporation em 16 de fevereiro e o caos subsequente é um sinal para o mundo de que os EUA sob sua atual gestão é um estado falido. Esta semana vamos ver como isso aconteceu e o que fazer com a situação.

Em primeiro lugar, de acordo com várias estimativas, incluindo o Conselho da Reserva Federal de Atlanta, o PIB dos EUA caiu 50% este ano. Os EUA também, (novamente de acordo com lugares como o FRB) tem passivos não financiados de mais de 200 trilhões de dólares. Isso inclui dívida externa, dívida pública, passivos previdenciários não financiados, etc. Se o PIB realmente caiu pela metade para cerca de US$ 10 trilhões, isso significa que a dívida é mais de 20 vezes a renda anual dos EUA. Significa que se todos os americanos gastassem metade do seu dinheiro pagando a dívida, levaria 400 anos para concluir.

Há também outros sinais de disfunção profunda. Os americanos gastam 17,7% do PIB em despesas médicas; mais que o dobro da porcentagem em outros países. Apesar disso a cada ano, a expectativa de vida americana diminui.

Depois há a indústria prisional que coloca as pessoas na cadeia por razões inválidas (como testar positivo para maconha) apenas para que possam lucrar com o trabalho escravo da prisão. Em todo o mundo, uma em cada 5 pessoas presas é americana. Os EUA, com uma população de 330 milhões, têm 2,3 milhões de pessoas presas, em comparação com 1,6 milhão de pessoas presas na China, que tem uma população de 1,5 bilhão. https://www.prisonpolicy.org/blog/2020/01/16/percent-incarcerated/

A distância entre os ricos e os pobres nos EUA é de longe a maior do mundo desenvolvido. Os padrões de vida reais para 90% dos americanos vêm caindo desde o início da década de 1970.

Outro problema é a mídia corporativa que agora está vomitando nada além de propagandas e mentiras. Isto está em conjunto com um sistema político que está paralisado por lutas internas e corrupção. A democracia nos EUA está morta desde que George Bush Jr. roubou a eleição do ano 2000.

De qualquer forma, você entendeu. Como uma fonte do MI6 disse: “A América acabou”.

A resposta óbvia é que o atual regime de Washington DC declare publicamente a falência. Isso acabaria com a dívida da noite para o dia. A administração do presidente dos EUA, Donald Trump, está tentando “tornar a América grande novamente”. Trump já repudiou a dívida interna ao nacionalizar a FRB e entregar dinheiro diretamente a corporações e pessoas físicas.

Isso funciona internamente, mas como os EUA devem dinheiro ao resto do mundo, o povo americano precisa renegociar sua dívida com o resto do mundo. Lembre-se que os navios estão chegando nos EUA cheios de coisas e deixando vazios por mais de 40 anos. Foi tudo pago com crédito dos EUA, mas agora os outros países estão pedindo o dinheiro. É por isso que as lojas estão ficando sem tantas mercadorias. Os EUA não têm dinheiro para manter os padrões de vida que estavam sendo pagos com dívidas.

O resto do mundo, especialmente os principais credores Japão e China, estão dispostos a abater a dívida, mas primeiro querem uma mudança na gestão. Em outras palavras, eles querem que os americanos se libertem da escravidão da dívida babilônica da máfia khazariana.

Esse processo começou com prisões e assassinatos extrajudiciais das principais elites khazarianas. A família Bush se foi, os Rockefellers perderam a presidência quando Hillary Rockefeller foi derrotada, muitos políticos e as chamadas celebridades desapareceram.

No entanto, a situação ainda é como um lagarto sacudindo sua cauda para escapar. O verdadeiro controle dos Estados Unidos ainda está nas mãos de khazarianos como Jared Kushner, a família Rothschild e Benyamin Netanyahu.

Lembra quando Donald Trump era um homem de negócios, cada vez que faliu ele era resgatado pelos Rothschilds. Isto é uma questão de registro público. Kushner comprou a infame propriedade 666 da 5ª Avenida onde desenvolveram microchips para implantar em humanos.

Em respeito a um pedido de Ben, aqui está a Parte 1 do relatório que foi dividido e continuará na Parte 2.


Nota do Blog:

A leitura dos relatórios de Fulford deve ser feita com certa sagacidade, ou seja, ele parece compartilhar informações diretamente de supostas fontes dentro do Pentágono, da CIA, da White Dragon Society (Sociedade do Dragão Branco) e assim por diante.

Frequentemente, as previsões e declarações de Fulford são altamente precisas, enquanto que, em outros casos, são infundadas e com dados contraditórios.Em vez de olhar para Fulford como alguém que é o ‘mensageiro’ de uma verdade maior, seria mais produtivo considerar seus dados como uma perspectiva possível do que está acontecendo na Terra neste momento.

É claro que isso se estende a todas as fontes de informação. Fulford, como todos nós, é humano e pode cometer erros. Mas isso não diminui o trabalho que ele fez para aumentar a conscientização, construindo um futuro melhor para a humanidade.

O discernimento é o processo de entender o que é algo, no caso de Fulford, significa receber seus relatórios sem crê-los cegamente e, em seguida, fazer a pesquisa de acompanhamento / verificação de fatos para determinar o que realmente aconteceu. Dessa forma, é um exercício de discernimento em tempo real.

O fato de tantas pessoas continuarem lendo seus relatórios, apesar de sua natureza sensacional e extremamente imprecisa às vezes – embora também sejam precisas e comoventes – significa que as pessoas de quem ele recebe informações provavelmente o estão usando como porta-voz para falar com você – o leitor que está no caminho do despertar. Como tal, crença cega ou rejeição insensível não são nossos aliados, mas sim o pensamento crítico e a mente aberta.

Como eu disse antes, se ele está servindo como porta-voz de vários grupos que trabalham para mudar o status quo ou agentes infiltrados dentro da Cabala, podemos decifrar os dados como se fosse uma forma de propaganda do despertar – informações que alguns envolvidos diretamente querem expor à grande massa. Que efeito isso tem no seu processo pessoal depende muito de você. Mas eu sugeriria assumir um papel ativo no discernimento e não cair na armadilha da total aceitação ou rejeição.

– Ninhursag 137


Autor: Benjamin Fulford
Fonte primária: http://benjam20infulford.net / http://benjaminfulford.typepad.com
Tradução: Ninhursag137

1 thought on “Os EUA agora são um estado falido e o que fazer com isso. (Parte 1) Benjamin Fulford em Português”

  1. Pingback: Os EUA agora são um estado falido e o que fazer com isso. (Parte 2) Benjamin Fulford em Português

Leave a Reply